Tão Óbvio, Tão Lógico...


... e porque nunca aconteceu?

Há um questionamento simples e comum entre os fãs brasileiros de futebol americano: Se o Brasil é o país do futebol e tem grandes atletas jogando por aí, porque nenhum deles atua na NFL como kicker?

A resposta desta pergunta vai demorar um pouco para se concretizar, mas virá com qualidade. Eduardo Câmara (foto acima, chutando), kicker da Cedar Hill High School (escola de ensino médio) do estado do Texas está trilhando o caminho tradicional para entrar na liga e sua trajetória está sendo feita com muita eficiência.

Fazendo uma projeção, Eduardo é o brasileiro que tem a melhor condição de chegar à NFL com um nome forte e categoria para participar como titular de qualquer clube. Antes, porém, ele tem que passar no mínimo três anos na universidade, que ele irá cursar a partir de 2010.

É bom lembrar de algo: quase um brasileiro chegou na liga sem passar pelas vias comuns, fazendo a transição do futebol brasileiro direto para à NFL.

Adhemar, ex-jogador do São Caetano e do Stuttgart da Alemanha, recebeu uma proposta, em 2006, do Tampa Bay Buccaneers para ser um dos kickers do time. Por não se adaptar com o equipamento e temer graves lesões, Adhemar recusou a oferta, mesmo tendo uma precisão no chute acima da média: em um teste junto com um dos membros da comissão técnica do Bucs, na Universidade Mackenzie – São Paulo, Adhemar acertou 9 de 10 field goals (FG) da distância de 50 jardas.

Eduardo possui também uma boa regularidade no chute, mas sua principal característica é ser decisivo nos momentos importantes da partida, atuando muito bem sobre pressão. Em 2008, em seu terceiro ano na escola, ele foi fundamental num jogo de playoff regional convertendo o FG da vitória (52 a 49) na terceira prorrogação contra a Plano West HS no Texas Stadium (na foto abaixo com o troféu do confronto).


No primeiro jogo desta temporada, contra a rival DeSoto – partida transmitida pela ESPN americana – Eduardo marcou um FG de 46 jardas no final do quarto período que colocou Cedar Hill dois pontos a frente no placar, ajudando sua equipe a vencer a partida (44 a 41), se recuperando de um resultado adverso (28 a 7 contra, no final do primeiro período).

O treinador da Cedar Hill, Joey McGuire, se empolga e diz que o brasileiro “...é o melhor kicker, no nível escolar, dos EUA...”. Talvez não seja para tanto, mas as atuações de Eduardo mostram que ele é de fato muito bom. Esta temporada 2009, ano de veterano, será primordial para ele comprovar tais fatos e se preparar com afinco para ir para a NCAA defendendo uma boa universidade e ser relevante entre as feras do college.

Texas é um dos estados que revela mais jogadores de football para a NCAA; consequentemente para a NFL. Os principais programas universitários vão visitar as escolas para olhar as melhores promessas. No caso de Eduardo, inúmeras universidades mostraram interesse (UCLA, Miami, Baylor, LSU, Alabama, Ole Miss...), contudo ele já tem um acordo verbal com Arkansas, que tem um processo seletivo forte no Texas – são estados vizinhos.

Esta proximidade pode ser um fator chave para Eduardo fechar com a universidade. Em entrevista ao Arkansas Democrat Gazette, o brasileiro disse “Gostei de Arkansas porque é próximo de casa; tem um programa no qual há a oportunidade de participar de Bowls e até de um título nacional; e tem ótimas instalações, com um bom e prestigiado ensino de Economia, curso que pretendo fazer.”

As chances de Câmara não ir para Arkansas são pequenas. O compromisso de defender a universidade foi confirmado em uma conversa que ele teve com o treinador da equipe, logo após uma visita do brasileiro ao campus. Eduardo ficou impressionado com o centro de treinamento de football e também com a comissão técnica.

O próximo encontro entre Arkansas e o brasileiro será no próximo dia 03 de Outubro, quando os Razorbacks vão enfrentar Texas A&M no novo estádio do Dallas Cowboys. Todos os recrutas do estado do Texas estarão presentes no estádio, porém não poderão conversar com nenhum membro da universidade devido ás regras da SEC.

Detalhe: somente em Fevereiro, na primeira quarta-feira do mês, deverá ser concretizado o acordo do aluno com a universidade, tradicional data no calendário de recrutamento para as assinaturas das bolsas de estudo – mesmo Câmara deixando claro sua preferência, nada impede que outras universidades façam propostas até o final do ano. Ele visitou também LSU (Universidade Estadual de Louisiana – SEC) e Baylor (que fica na cidade de Waco, Texas – conferência Big XII)

Ressaltando que Arkansas tem um programa tradicional dirigido pelo renomado técnico Bobby Petrino e participa da competitiva SEC, uma das melhores conferências de football da NCAA.

Amanhã (12/09) será o terceiro jogo da temporada para Cedar Hill contra Trinity HS. Na última sexta (4/09) a escola passou fácil pela Wichita Falls HS – 28 a 0 – com Eduardo anotando nenhum FG, mas convertendo quatro pontos extras. Este bom início de temporada, 2v-0d, coloca Cedar Hill no topo dos rankings escolares: número um no estado do Texas; nona no Fab 50 (ranking nacional da ESPN); e décima primeira no Super 25 (ranking do USA Today). Isto só aumenta o status e a responsabilidade do Eduardo com o seu papel de kicker, muitas vezes o grande responsável pela derrota ou vitória da equipe, o valorizando ainda mais.

Com certeza a torcida brasileira é grande para que Eduardo Câmara continue atuando neste alto nível e que venha a conquistar dois feitos: mostrar que o brasileiro pode ser bom chutando até bola oval e concretizar algo tão óbvio, tão lógico...

(GL)




© 1 e 2 John F. Rhodes / Dallas Morning News
© 3 Rivals.com

Um comentário:

lucasmioto disse...

Tem o Bonani tb. Agora, infelizmente, com o acidente sofrido, tenha ficado mais complicado de ver um brasileiro na NFL.

Por oportuno, parabéns pelo blog. Mto legal mesmo

Postar um comentário