E o Que Era Bom...

...ficou melhor!


A chegada do arremessador Cliff Lee (foto acima) ao Philadelphia Phillies faz com que o atual campeão da MLB aumente sua chance de conquistar o bi campeonato. Hoje à noite, no segundo jogo da série contra o San Francisco Giants, Lee irá duelar contra Ryan Sadowski e terá a oportunidade de mostrar se pode acrescentar algo ao melhor time deste mês de Julho da MLB: 19v-6d.

Este confronto Giants x Phillies é o encontro do melhor ataque (PHI) contra o time com menor ERA (SAN) da Liga Nacional (LN). O Philadelphia está apenas na 9ª posição em corridas cedidas na LN e sempre esteve em busca do um arremessador titular para aprimorar sua rotação. O primeiro alvo era Roy Halladay (leia “Para Cumprir a Promessa”), mas a diretória do clube optou pelo plano B, que acabou sendo a opção ideal para franquia em vários aspectos.

Lee é tão bom quanto Halladay; Lee é um ano mais novo e é o atual vencedor do Cy Young da Liga Americana (LA). Lee será agente livre no final da próxima temporada (o mesmo aconteceria com Halladay), porém os valores contratuais são bem menores; Lee ganhará no ano que vem US$ 8 milhões e o salário de Halladay em 2010 é de US$ 15,75 milhões.

Alem disso, os Phillies cederam pouco ao Cleveland Indians e manteve os seus principais talentos da base (o arremessador Kyle Drabek e o outfielder Domonic Brown) e o titular J.A. Happ. Entre os quatros jogadores que foram para os Indians (todos da base), dois são prováveis estrelas: Carlos Carrasco (arremessador) e Jason Knapp (reliever).

Desta forma, o Philadelphia se prepara para o agora e o futuro. Cliff Lee é uma contribuição imediata e Drabek, Brown e Happ serão forças que ajudarão a franquia mais pra frente. Os Phillies também reforçaram os reservas nesta troca com os Indians, recebendo Ben Francisco que será o 4º outfielder.

Ruben Amaro Jr. (foto ao lado), diretor de beisebol da franquia, deu a Charlie Manuel, treinador, a “boa dor de cabeça”, termo que os técnicos amam usar. Manuel terá que arranjar um lugar para seis arremessadores titulares em cinco posições. Embora Happ esteja fazendo uma estupenda temporada (7v-2d e 2.97 ERA), é provável que o novato vá para o bullpen quando Pedro Martinez se recuperar e a rotação ficará da seguinte forma:


Cliff Lee (canhoto)
Cole Hamels (canhoto)
Joe Blanton (destro)
Jamie Moyer (canhoto)
Pedro Martinez (destro)

Lembrando que Happ é canhoto.

O alto número de jogadores que arremessam com o braço esquerdo não preocupa Amaro Jr. . Em entrevista à MLB Network ele disse que o importante é o time ter jogadores de qualidade e Manuel ter em mãos o melhor elenco possível – ele citou o caso Raul Ibanez como exemplo.

Tecnicamente, não é mesmo problema ter todos estes canhotos na rotação, visto que cada um é especializado em um tipo de arremesso diferente do outro e os adversários terão que se adaptar de forma específica a cada jogo, como acontece naturalmente.

Falando sobre adaptação... Lee não terá nenhum problema em arremessar na LN, a exemplo do seu antigo companheiro, C.C. Sabathia, que concretizou a idéia que o arremessador que sai da LA e vai para a LN tem uma melhora em seu rendimento. Sabathia, que saiu no ano passado dos Indians (coincidentemente depois de vencer o Cy Young em 2007) foi para o Milwaukee Brewers (LN) e contribuiu efetivamente para a equipe se classificar na repescagem.

Arremessar na LA é mais difícil porque os times têm o rebatedor designado (DH) e uma linha de ataque mais forte e profunda. Já na LN o arremessador rebate e a linha de ataque é mais fraca na parte final (entre o sétimo e nono rebatedor). Ontem, na apresentação ao clube, Lee falou sobre isto dizendo que terá que se acostumar com jogos mais curtos e em rebater; já começou treinando o bunt.


O sucesso dos Phillies não virá somente pelas atuações dos arremessadores. O ataque (como mencionado anteriormente) é o melhor da LN produzindo em média 5.39 corridas por jogo. Ataque este que tem “cara de LA”: por exemplo - Pedro Feliz (foto acima), sétimo rebatedor, tem um aproveitamento de .291 (mais que Ryan Howard) e 52 RBI.

A vantagem que o Philadelphia tem hoje na divisão Leste (6 jogos a frente do Florida Marlins) tende a se manter até o final do campeonato. A meta do clube é chegar nos Dodgers de Joe Torre e Manny Ramirez para buscar o título da LN e o mando de campo numa provável decisão da liga. Objetivo perfeitamente alcançável para uma equipe que está moldada, pronta para conquistar o bi campeonato.


© 1 e 3 Doug Pensinger/Getty Images
© 2 AP

PS: Leia “Dor de Cotovelo” texto sobre Cole Hamels (publicado em 23 de Março)

2 comentários:

Carlos disse...

Queria o Moyer como Long reliever e o Happ na rotação, mas isso não irá acontecer.
mto bom o artigo!

Ric Segre # 27 disse...

Eu também acho que o Happ merece ficar no rotação, mas rookie sabe como é. O Lee melhora bem a situação do Phillies, que de uma hora pra outra com o Blanton jogando muito tem uma rotação muito boa, além do tremendo ataque. Muito legal o blog, passarei a visitar mais.

Postar um comentário