Eu gosto de macarrão com salsicha: o ódio à NFL e porque elas têm razão

Cris França e Fernanda fizeram um desabafo no blog macarrão com salsicha sobre a insatisfação delas com a NFL citando 5 razões, e uma hilária faixa bônus, enfatizando o desgosto com a liga e com o football. Um desabafo ótimo que serviu para escancarar muitos problemas com os fãs da NFL e como o ser humano reage à contrariedade.

Já percebeu que quando alguém fala mal de você, citando uma característica ruim sua, a primeira coisa que você faz é dizer o que este alguém tem de ruim? É a briga do sujo e do mal lavado. Pode ser algo irrelevante, mas ao invés de ser levado em consideração, não pensamos no nosso ruim, vamos nos preocupar com o ruim dos outros. As meninas do blog decidiram, dentro do tom irônico que elas sempre produzem seus posts, criticar o que acham de errado na NFL. Os torcedores, vestidos pela carapuça, atacaram sem motivo algum.

A razão dos torcedores foi perdida quando comentários machistas passaram a ser destilados – e daí partiu pra baixaria. Então as administradoras do blog tiveram que bloquear os comentários, corretamente diga-se, para que a insensatez não progredisse.

De “deveria estar lavando a louça” até o “tinha que ser mulher” são algumas das coisas que disseram sobre as garotas. O engraçado é que se o post elogiasse a liga, o mesmo tom preconceituoso estaria inserido nos elogios do tipo: “Olha! Mulheres falando bem de football e que curtem a NFL” - como se fosse anormal.

O preconceito contra a mulher na NFL existe e é forte. Jemele Hill é uma jovem jornalista que cada vez ganha espaço na ESPN (EUA) e o preconceito que ela sofre é duplo por também ser afro-americana. Em um recente texto ela analisou tecnicamente dois talentosíssimos quarterbacks da NCAA que estão indo em direção à NFL: Robert Griffin III da Universidade Baylor e Andrew Luck da Universidade Stanford. Hill defende sua opinião muito bem embasada e coloca no título “[Indianapolis] Colts deveria escolher Griffin, não Luck”. Entre os 3.694 comentários deste artigo estão vários dizendo que ela é racista (por preferir um QB negro – Griffin – do que um branco – Luck), deveria estar lavando louça e cuidando de casa, e que seu trabalho na ESPN só pode ser resultado de um sistema de cotas que beneficia mulheres afro-americanas.

Pois é...

Será que os indignados com o post da Cris e Fernanda, aqueles que defendem a paixão feminina pela NFL, iriam respeitar a mulher que falasse profissionalmente sobre o esporte aqui no Brasil? Ou será que na primeira opinião “Green Bay Packers não é um bom time” ela receberia um comentário no melhor estilo “tinha que ser mulher”?

A decisão em bloquear os comentários foi uma medida de urgência, embora acertada. Elas sentiram o ponto que chegam certas pessoas ao falar as mais extremas bobagens num lugar que pertence a outro. Profissional ou pessoal, o blog é de alguém que pode optar como bem entender administrá-lo. No começo do Grandes Ligas os comentários eram abertos, poucos meses depois fui obrigado a fazer moderação. Os mais diversos blogs da mídia brasileira fazem o mesmo. No site da revista Veja assim está escrito na caixinha de comentários: “Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões (...) serão excluídos”. Num dos maiores sites esportivos do Brasil, o globoesporte.com, na caixinha de comentários dos blogs lá hospedados está destacado: “seu comentário será moderado”. Estes são apenas dois simples exemplos.

Lá pelas tantas, falaram que as meninas do mcs emitiram opinião do que não conheciam. E aqueles que as criticaram sem conhecer o estilo dos textos delas? Sem saber que as mais diversas opiniões expressas no blog são na mesma toada? O absurdo chegou ao ponto que precisaram destacar que o texto era uma piada, um esculacho; aliás, que deve ser no mínimo respeitado.

Muitas coisas ditas por elas eu não concordo, mas tem razão no que escreveram porque é o ponto de vista que entendem como correto. Sim, existem pessoas que não gostam de coisas que eu amo, assim como eu não gosto de coisas que você ama. Posso dizer que uma banda musical “X” é um lixo mesmo esta sendo considerada por ti como a melhor da história. Neste caso eu tenho meus motivos para odiar e você tem os motivos para amar a mesma banda em discussão. E claro, muita gente não gosta da NFL e tem o direito de achincalhar o esporte, da mesma forma que há espaço para exaltar a liga.

Mesmo não compactuando com as ideias expostas no texto, tem muita coisa engraçada. Rir dos próprios defeitos é bom. Em um dos tópicos elas criticam a extensão das partidas – 1. O jogo demora 545.787 horas pra terminar. E realmente é bem extenso. Fora um detalhe: segundo levantamento feito pelo periódico americano The Wall Street Journal em 2010, jogos da NFL tem 11 minutos de ação, tempo real que a bola está em jogo. Um dos mais recentes grandes sucessos na TV por assinatura nos EUA foi a criação da NFL RedZone (por NFL Network), canal desenvolvido pela própria liga que não passa comerciais e mostra lances de todos os jogos da rodada, mas só aqueles que estão próximos da end zone, somente os que importam.

Pergunto por que querem transformá-las em fãs da NFL. Se não gostam, não gostam. Mulheres (nem homens) não precisam força-las a admirar um belo jogo que possui características fantásticas. No texto elas deixam bem claro a que o gosto de cada um se assemelha (risos).

O leitor do Grandes Ligas sabe que a mulher aqui sempre tem espaço: Danica Patrick, Heidi Ueberroth (NBA), Jeanie Buss (Los Angeles Lakers), Erin Andrews (repórter da ESPN – EUA), Candace Parker, As mais belas da WNBA. Também no football, com uma das franquias mais importantes atualmente na NFL (Saints) que tem uma vice-presidente no comando: Rita Benson LeBlanc, a bem aventurada entre os Santos.

As mulheres que gostam da NFL (e dos esportes americanos) são bem vindas; as que não gostam também.

Uma diliça!



(GL)
Escrito por João da Paz

12 comentários:

Ivan Rodrigues disse...

Isso, Da Paz, defende quem alopra o esporte. Já tem pouco preconceito mesmo né? Parabéns!

Rennany disse...

Se for pra falar mal, que seja pelo menos bem escrito e mesmo discordando muito elas fizeram isso.

Netto disse...

Simplesmente ridículo.

Se for pra criticar, que tenha argumentos dignos, mesmo que o estilo do texto seja cômico.
Não coisas do tipo "5. A bola é oval". (O único que talvez tenha um pingo de noção seja o de que o esporte é longo, mas pra quem não entende, vai ser demorado mesmo, né.)
Além de chamar várias vezes o esporte de ridículo e babaca, da mesma forma quem assiste.
Tenha respeito pelo menos, né.

Não gosta? Compra uma outra TV e vai assistir aquelas novelas (ou o BBB), que a Globo gasta 3/5 do seu tempo passando (e que essa Fernanda deve achar muito legais e produtivas, né? rs).

Led Brasil disse...

Falar que as meninas "alopraram" o esporte é puro recalque... O texto inteiro foi num tom de sarcasmo e ironia muito claro, até agora eu não entendi tanto ódio descarregado em cima delas. Concordo com o Ivan Rodrigues que o esporte até sofre preconceito, mas achar que aquele texto ali vai contribuir em alguma coisa pra esse preconceito aumentar é dar crédito demais a um simples post num blog.

Jonas disse...

O post é hilário. As pessoas precisam baixar a guarda e entender que o post todo é uma piada. A bola é oval sim, os jogadores usam calça de lycra, tem jogador que pesa uma tonelada e tem jogo em que nada acontece mesmo. Mas pra gente que gosta do esporte, nada disso é relevante.

Adoro futebol e não mando à merda quem fala mal do jogo por serem 22 marmanjos correndo atrás de uma bola. Antes de mandar o cara à merda, no mímino eu tentaria entender o motivo dele não gostar do esporte.

Se fosse o Jerry Seinfield fazendo os mesmos comentários seria engraçado?

Celta disse...

Interessante que mesmo nos comentários aqui tem gente que cai na mesma questão do "vai ver novela"... uma pena que nem todo mundo entende que o seu post não é sobre o esporte, mas sobre diversidade e respeito pela opinião dos outros. Parabéns pelo texto

tiburcio disse...

Infelizmente o FA no Brasil está igual ao futebol, aonde a intolerância e falta de respeito pela opção do outro não é tolerada. Em vários blogs, percebe-se na caixa de comentários, brigas e insultos entre torcedores, igual aos currais que se chamam de estádio aqui. Por que a violência por uma opinião contrária? Tenho curiosidade de saber como são as torcidas nos jogos das ligas brasileira de FA.
E por último, realmente este país está invertido. Levam a sério as brincadeiras (macarrão com salsicha, Rafael Bastos, Danilo Gentili, Panico) e tratam como brincadeira o que é sério (orçamento da copa, congresso nacional, etc).

Gustavo Vaz disse...

Não concordo com texto das moças e acho que podia ser uma sátira muito mais hilária e bem escrita. Porém, você acertou em cheio em criticar o baixo nível imposto nos comentários ao texto do "Macarrão com Salsicha". Os fãs do FA perderam totalmente a razão ao baixar o nível mais do que (teoricamente) as moças tinham baixado ao escrever o texto. Como você falou, falta ao fã (e não só ao fã, mas ao brasileiro) saber aceitar seus defeitos, tentar consertá-los e rir, zoar deles, como os ingleses fazem, por exemplo. Abraços e parabéns por ter uma opinião própria, sempre clara nos seus textos, e não ter medo de expô-la, mesmo com a arrogância que a maioria dos fãs dos nossos queridos esportes mostra.

pai e filhos painéis disse...

A Internet é um espaço onde você tem a possibilidade de expor a sua opinião, mas antes, a pessoa tem que pensar no que irá teclar.
Eu acredito que o autor do blog pensou no que ia escrever neste post, eu pensei no que estou escrevendo agora, e os leitores também pensaram. Algo que as autoras do blog não tiveram.
Expor uma opinião, não é desabafar. Pra isso existe o telefone pra falar com uma amiga, tia, mãe, etc. E não escrever num blog e falar bizarrices.
Pra criticar é preciso entender o que acontece.
Provavelmente essas mulheres deixaram de ir a praia, shopping, festas, com os maridos etc. nos últimos meses daí resolveram escrever tanta besteira.
Criticar não é desabafar. Abs

Rafael do Val disse...

Se elas assistissem esse Saints X 49ers de hoje, mudavam de opinião na hora.

Alguns jogos da temporada regular podem até ser parados, mas quando juntamos os melhores pro playoff, você pode esquecer essa idéia.

Além disso, até entendo a piada, mas acho que falar da Bola Oval foi besteirinha, falar mal do Antunes foi recalque, e falar das montanhas de bife da linha ofensiva como gordos foi não tentar compreender o esporte.

Enfim, elas tem direito de achar o que quiserem e nós, fãs do esporte popular da terra do tio sam, não temos direito de ofender ninguém por isso.

Roberta disse...

Sou mulher, então sou a que mais tenho razão nos comentários desse post a partir de agora (a não ser que eu tenha decifrado errado os nomes acima). HÁ! (é piada, tá gente?)

O post no Macarrão com Salsicha foi ESPETACULAR! Apesar de não concordar com muita coisa que as meninas escreveram, elas conseguiram expor o que realmente acham do esporte e de maneira engraçadíssima. Eu amo NFL, mas não havia parado para pensar que o jogo pára o tempo tempo. Os caras usam calça de mulher fazer academia e eu acho alguns deles muito lindos! O Paulo Antunes berra o o jogo inteiro, e o Everaldo está entrando na onda, mas ainda assim eu fico grudada na tela torcendo para que isso aconteça.

É uma questão de gosto, e pessoas sábias ao meu redor dizem que "gosto não se discute, se lamenta". A Fernanda e a Cris lamentaram, e justificaram.

Parabéns pelo post, João!

Gustavo Lovatto disse...

Nada contra ... mas juro que não vi graça nenhuma. Até pensei em escrever um e-mail pra elas (sem baixarias), mas aí achei exagero da minha parte. Mas que não teve graça nenhuma, não teve.

Postar um comentário