O Escudo, o Pirata e as Espadas (Ice Cube e os Raiders)


No início do documentário Straight Outta LA (SOLA), o rapper Snoop Dogg define bem o porquê da identificação do gênero gangsta rap com a franquia Raiders: “O símbolo do time representa a nossa atitude nas ruas, não poderíamos nos associar com rosas, árvores e pássaros”.

Até a combinação das cores prata e preta dão um ar de agressividade, diferente das cores roxo e ouro, por exemplo.

SOLA, que teve sua estréia na última terça (18), é dirigido por Ice Cube e faz parte da série da ESPN americana chamada 30 for 30, trinta documentários para relembrar fatos esportivos relevantes das últimas três décadas, comemorando o aniversário de 30 anos da rede de televisão. A idéia central do filme é traçar um paralelo entre a carreira do rapper e do seu grupo NWA (Niggaz With Attitude) com o time dos Raiders dos anos 80. Ele conseguiu transmitir com maestria o conceito que queria compartilhar.

O ponto de partida acontece quando Ice Cube vê o Oakland Raiders ganhar o Super Bowl XV em 1980. O estilo feroz de jogar daqueles atletas enchia os olhos do então garoto de Los Angeles, que decidiu escolher o time de outra cidade para torcer – os Rams eram o time de LA na ocasião.

A franquia mudou para Los Angeles em 1982 e na temporada seguinte conquistou o Super Bowl XVIII. O time era a sensação da NFL, estava no auge e a aproximação dos fãs com o clube só crescia. Ice Cube se envolvia mais com os Raiders e na adolescência a paixão ficou mais forte. Simultaneamente ele descobriu o talento de rimar e se envolveu com outro amor chamado rap, mas não conseguia escrever sobre festas, garotas ou autopromoção; o cotidiano que vivia o fez ser realista, uma espécie de repórter das ruas.

Ice Cube versava sobre o que ele via ao seu redor: drogas, violência e desprezo. Seus ouvintes se identificavam porque passavam por situações parecidas que ele dizia nas letras. Em busca de um DJ para divulgar mais seu trabalho, achou Dr. Dre, que o apresentou ao MC Ren, DJ Yella e ao Eazy-E. Estava formado o grupo NWA (foto abaixo).


A tradução da sigla NWA é Negros Com Atitude, o que causa um impacto fortíssimo. Eles queriam fazer com que a voz dos que viviam na periferia de LA fosse ouvida. Todos do movimento hip-hop passaram a prestar atenção no que aqueles caras do bairro de Compton (um dos mais violentos dos EUA) tinham a dizer. A mensagem se resume numa imagem: escudo, pirata e espadas.

O grupo decidiu usar preto aonde quer que fossem. Para dar um toque a mais, o boné escrito Los Angeles Raiders, ou que tivesse o símbolo do clube, passou a fazer parte do uniforme. Seja qual fosse o lugar, lá estavam o quinteto usando alguma coisa relacionada aos Raiders e tal comportamento fez a franquia se tornar mais popular do que já era.

Quando o grupo lançou seu primeiro disco em 1987, os Raiders não estavam muito bem em campo – depois do SB XVIII, apareceu nos playoffs apenas em 1984 e 1985. As decisões duvidosas e equivocadas da diretoria na renovação da equipe – que não contava mais com os veteranos dos dois títulos conquistados anteriormente –, não afastavam os fãs do estádio e o apoio ao time continuava forte. Os torcedores dos Raiders sempre foram considerados fiéis ao clube, do tipo dedicado, fanático, aquele que veste a camisa.

Literalmente.

Com o NWA usando bonés e jaquetas com o logo dos Raiders, a população afro-americana e latina de LA passou a torcer pelo clube. Esta aproximação não necessariamente deveria ser demonstrada com o comparecimento ao estádio, o simples fato de usar a jaqueta ou o boné já era uma manifestação de admiração. O boné e a jaqueta se tornaram produtos da moda e Raiders virou uma grife urbana, no mesmo momento que as peças passaram a ser “criminosas”.

As gangues de LA poderiam usar o preto e prata tranquilamente, já que eram cores neutras e não tinham nenhuma correspondência com os Bloods (vermelho) e Crips (azul). Com isto, membros rivais se misturavam na torcida dos Raiders e brigas envolvendo torcedores do time eram constantes dentro e fora do estádio. As manchetes dos jornais angelinos, nos cadernos policiais, constantemente informavam que alguém que cometeu um crime estava usando uma jaqueta/boné dos Raiders ou que uma vítima estava usando uma jaqueta/boné dos Raiders. Algumas escolas de Los Angeles proibiram que alunos usassem roupas que fizessem alusão aos Raiders.

O que tinha sido bom em um momento acabou tendo um fim triste.

No começo da década de 90, os Raiders continuavam deixando a desejar. Período no qual Ice Cube saiu do NWA para iniciar carreira solo. Em um momento de reflexão ele rima em seu segundo disco, “Death Certificate” [1991]:

I stop to give juice to the Raiders (Parei de dar ibope para os Raiders)
´Cause Al Davis, never paid us (Porque Al Davis nunca nos pagou)


Em 1995, os Raiders fecharam um acordo para permanecer, no mínimo, por 16 anos na cidade de Oakland. Nada que diminuísse a paixão da Raider Nation (como é conhecida a torcida) pelo time e nem a admiração que Ice Cube tem pelo dono da franquia, Al Davis – embora um ressentimento tenha surgido em algum instante. Ele conseguiu uma longa entrevista com o chefão, algo bastante difícil de fazer, pois o dono dos Raiders não gosta muito de falar com a imprensa. Ice Cube conseguiu extrair muita coisa interessante, com destaque para a declaração dele dizendo que quando terminar o acordo com Oakland, no final da temporada 2011, os Raiders podem voltar para Los Angeles – caso a cidade dos anjos construa um estádio. “É só bater na porta” afirmou Al Davis.

Ice Cube foi excelente em SOLA, seu 17º trabalho como diretor/produtor. Muitos o conhecem através da música rap, outros através de alguns filmes que ele atuou (26 no total), mas SOLA o colocará em outro nível, porque não é fácil dirigir um documentário e finalizá-lo de uma forma tão exuberante. Falar sobre uma paixão pessoal ajudou, assim como contar um pouco da sua vida facilitou o trabalho. Ice Cube revolucionou mais uma vez, dando um presente ao seu clube e aos torcedores no aniversário de 50 anos da franquia.

Ele foi um dos fundadores do gangsta rap, criou filmes populares e de sucesso (como “Sexta-Feira em Apuros”) e transformou o filme “Querem Acabar Comigo” em um seriado de televisão. Não é só o escudo, o pirata e as espadas que simbolizam a relação Ice Cube com os Raiders, o slogan do clube se encaixa bem no perfil do rapper/produtor/ator/diretor:

Compromisso com a excelência.



(GL)


Bônus: Ouça a música Raider Nation do Ice Cube, gravada em 2009

2 comentários:

Cristian Stefanes disse...

muitoooooo bom

f... da p... disse...

Mano que texto foda, e o blog é muito bom, eu n sou muito de acompanhar blog mais esse foi muito foda

Postar um comentário