Individualidade ou Jogo Coletivo


A excelente fase da NBA, com emocionantes partidas nestas finais de conferência, está expondo ao público dois estilos de jogar basquete apresentado pelas equipes que estão no final four: o estilo mais individualista (Los Angeles Lakers e Cleveland Cavaliers) e o estilo mais coletivo (Denver Nuggets e Orlando Magic). Fica com o torcedor a escolha do que mais lhe agrada.

Antes do inicio das finais de conferência, muitos apostavam em uma decisão “individualista” pelo título da NBA entre Lakers e Cavs, interessados no duelo Kobe Bryant versus LeBron James. Um encontro deste tipo agradaria a associação ($) e seria mais atraente para o fã de esporte em geral.

Contudo, não é pequena a possibilidade de haver uma final do “jogo coletivo” entre Nuggets e Magic. O amante do basquete assistiria um duelo deste sem nenhum problema, porém não seria tão atrativa assim para o grande público. Mesmo não sendo um encontro entre San Antonio Spurs e Detroit Pistons da decisão de 2005 (uma com um dos piores índices de audiência da história) e por mais que Denver e Orlando tenham jogadores interessantes de se assistir, ambos não tem LBJ ou Bryant...

Outro cenário possível é ocorrer mais jogos ente a Individualidade e o jogo coletivo na final da NBA. Neste caso, quem levará a melhor? Veja o que cada time tem feito até o momento nestas finais de conferência:

Individualidade

Cleveland Cavaliers
Imagina se o Mike Brown (treinador dos Cavs) armasse uma jogada ofensiva em que a bola NÃO passasse pelas mãos de LeBron... Bom, esta é apenas uma imaginação mesmo. Não parece que o camisa 23 do Cleveland em todo o ataque arma a jogada, faz o “corta-luz”, arremessa (e se caso acertar o aro) vai e pega o rebote e converte a cesta com um “tapinha”? E fazendo tudo isso sozinho? No jogo 5, os primeiros 29 pontos do Cleveland no quarto período passaram por LBJ; seja em assistências ou pontos. Dos cinco jogos desta série contra o Orlando, LBJ marcou mais de quarenta em três deles; foi derrotado em todos. No jogo 2, quando anotou 35 pontos, os Cavs venceram graças a um arremesso dele nos segundos finais da partida. No jogo 5 ele anotou um triplo duplo (37-14-12)

O garrafão ofensivo do Cleveland está sendo pouco produtivo. Os arremessos de média distância de Delonte West não apareceram. Mo Williams é que vem procurando fazer algo para ajudar LBJ e foi eficiente somente no jogo 5, convertendo seis arremessos de três. O armador da equipe foi o segundo cestinha em todas as cinco partidas, anotando mais que 20 pontos em apenas uma delas (17, 19, 15, 18 e 24 respectivamente).

Los Angeles Lakers
Kobe Bryant marcou mais de 40 pontos em duas partidas (duas vitórias) e marcou menos de 40 em três partidas (duas derrotas e uma vitória). Além de creditar ao camisa 24 dos Lakers os resultados positivos no jogo 1 e 3, deve se valorizar as duas roubadas de bola de Trevor Ariza no finalzinho dos jogos, se não...

Pau Gasol até está fazendo sua parte, mesmo com sua média de pontos menor na série contra o Denver em comparação com estes playoffs (18 nos playoffs, 17 contra Denver). Enquanto isso, dois jogadores chaves para o esquema de Phil Jackson simplesmente “desapareceram”. Lamar Odom chegou ao inicio das finas do Oeste sendo o segundo cestinha da equipe nesta pós- temporada (média 18,5 PPJ), contudo não marcou mais do que 10 pontos em nenhuma das quatro primeiras partidas e sua média nestes jogos foi de apenas 7,5 PPJ! Jogando mais do que 30 minutos por jogo...

Se o “caso Odom” causa espanto, e o “caso Derek Fisher”? O jogador que tem 170 partidas de pós-temporada não está mostrando nada de sua vasta experiência. Do jogo 2 ao jogo 4, Fisher anotou (somando os três jogos!) 12 pontos, 6 assistências e 2 cestas de três entre 11 arremessos...

Tanto Odom e Fisher responderam em quadra as péssimas atuações nestas finais do Oeste, no jogo 5. Lamar Odom marcou 19 pontos em pegou 14 rebotes e Derek Fisher anotou 12 pontos, ajudando Kobe. que terminou a partida com 22 pontos.

Jogo Coletivo

Orlando Magic
Esqueça Dwight Howard (mesmo ele jogando acima da média e convertendo 29 lances livres de 41 tentados nestas finais do Leste). Só para fazer um pequeno exercício. Seja Rashard Lewis, ou Hedo Turkoglu, ou Rafer Alston, ou Mickael Pietrus, algum destes quatro irá anotar pontos e contribuir de fato para sua equipe. No jogo 1 foi Lewis, no jogo: Turkoglu, no jogo 3: Pietrus, no jogo 4: Alston e no jogo 5: Turkoglu.

Coloque de volta Howard e acrescenta sempre 20 pontos e uns 15 rebotes por jogo... Com seus “coadjuvantes” jogando o fino do basquete, o resultado é uma equipe (elenco) difícil de ser batida nesta fase que está.

Denver Nuggets
Com exceção do trio do Boston Celtics, os Nuggets são a única equipe da NBA que tem três jogadores (Chauncey Billups, Carmelo Anthony e JR Smith) que podem anotar mais de 20 pontos por jogo. Contando ainda com as contribuições de Nenê, Kenyon Martin, Linas Kleiza, Chris Anderesen...

Esta ajuda, porém não apareceu no jogo 5 (vitória dos Lakers em Los Angeles). No quarto período, apenas ´Melo e Kleiza marcaram pontos para os Nuggets, com Billups anotando só 12 e JR Smith 7.

É um dos times mais físicos de toda associação (e também um dos mais tatuados...). Joga com agressividade nos dois lados da quadra, o que fortalece mais o conjunto do time. Chegou na posição de momento, um dos possíveis finalistas da NBA, graças a disposição e garra demonstrada por todos do elenco. Na “enciclopédia da NBA”, na definição sobre jogo coletivo, está uma foto do Denver Nuggets.

Um comentário:

wander disse...

e o meu rockets? num tem 3 q conseguem anotar mais de 29 pts tb ñ?!

Postar um comentário